História do Ensino a Distância
 
Ensino ou Educação a Distância é todo estudo que pode ser aplicado a qualquer nível de ensino  e que possui uma estrutura adequada e planejada para ser disponibilizada para os interessados. Nele, professor e aluno se encontram em lugares diferentes e ocorre a transmissão dos conteúdos através de um meio de comunicação (CD, televisão, vídeo conferência, fax, telefone, internet, correio, rádio e outras tecnologias).
 
História
 
Desde o século XVIII, já se falava sobre o Ensino a Distância. Nos Estados Unidos, o primeiro curso chegava por correspondência, em 1728, chamado de taquigrafia. Mas vários estudiosos afirmam que, desde o século XV, ou mesmo na antiguidade, já existia essa comunicação educativa. A exemplo, temos as cartas de Pero Vaz de Caminha ao rei de Portugal, sobre a descoberta dos índios no Brasil, ou as cartas de Paulo, epístolas bíblicas enviadas para os cristãos.

Outros estudiosos  acreditam que a origem da EaD iniciou-se com a criação da imprensa, pois antes, havia documentos que eram inacessíveis à plebe e apenas a Corte teria acesso a eles. Apesar disso, um marco que destacou a criação do EaD aconteceu em 1883, com barateamento do material impresso e dos Correios. Cursos foram surgindo e, nessa época, cursos por correspondência foram autorizados. Assim, o estado de Nova Iorque reconheceu e aceitou os diplomas desse método, no Chatauqua Institute.
 
 
Mesmo com as diferentes abordagens citadas em artigos, por estudos e estudiosos (João Roberto Moreira Alves, Michel G. Moore e Greg Kearsley,  Ivônio B. Nunes, Borge Holmberg, Oreste Preti e outros) sobre as origens do surgimento do EaD, a história aponta a importância da Universidade Aberta da Inglaterra (Open University), em 1969, como um exemplo de sucesso do Ensino a Distância,  integrando impresso, rádio, televisão e contato pessoal.
 
No início do século XX, apareceram vários cursos a distância na Rússia e em universidades americanas (Wisonsin, Oregon, Nebraska, Texas, etc.). Os principais eram de extensão universitários ou técnicos. Mesmo com a popularização, havia pessoas que discordavam desses cursos e eles não tiveram uma experiência prolongada.

A intenção foi atender uma parcela da população atarefada, sem tempo para usufruir dos ensinos tradicionais, como os adultos, as mães, donas de casa, professores, etc., essencial para suprir essas necessidades.

Num primeiro momento, o Ensino a Distância era feito somente por meio da comunicação escrita. O uso da carta conectava o emissor ao receptor, distanteEaD no mundos geograficamente. Depois, tiveram como apoio não somente o material impresso, mas as tecnologias de áudio e vídeo.

Após isso, e à medida que a tecnologia foi evoluindo, eram utilizados meios de telecomunicações/satélite, cabos ou linhas ISDN (Integrated Services Digital Network) ou Rede Digital de Serviços Integrados (RDSI) para transmissão do conteúdo.

A partir daí, o ensino começou a se tornar flexível com o uso do computador. Hoje, a Internet está em destaque. Com ela, e as outras tecnologias incorporadas a EaD, o estudante possui uma autonomia para decidir diversas questões relacionadas ao seu estudo. O EaD está em sua 5ª geração, utilizando recursos cada vez mais avançados e integrando diferentes meios de comunicação e processos.




Site desenvolvido por KERDNA Produção Editorial LTDA